Principal / Nutrição / Proteína do Arroz – Uma nova opção de proteína
Proteína do Arroz

Proteína do Arroz – Uma nova opção de proteína

Cientistas desenvolveram uma técnica para transformar os resíduos da produção de arroz numa fonte confiável de proteína em pó.

Quando desenvolvem produtos sem glúten ou não alérgicos, os fabricantes geralmente extraem o amido do arroz e dispensam o restante da matéria-prima. Isso não somente desperdiça muitos produtos, como acarreta uma grande despesa para os fabricantes.

Tudo isso está prestes a mudar graças a equipe de pesquisadores do Instituto Fraunhofer de Meio Ambiente, Segurança e Tecnologias Energéticas – UMSICHT da Alemanha.

Quando o amido é removido do arroz, há ainda valiosos produtos como a proteína esperando ser utilizadas. Pesquisadores desenvolveram um processo no qual a proteína pode ser isolada do resto do material dispensado, quebradas em pequenos pedaços (peptídeos), e purificadas para o uso em suplementos esportivos. O produto final parece similar ao leite em pó, a equipe relatou.

Dr. Jurgen Gran-Heedfeld, um dos membros da equipe, comentou, “Nós pegamos um subproduto que gera uma custo adicional e convertemos isso num produto valioso que pode ser usado em produtos alimentícios e em cosméticos. Por isso esse material é tão inédito e único.

O conjunto de peptídeos de arroz é algo inédito no mercado, pois as atuais proteínas são derivadas de diferentes fontes de matérias-primas, como o leite e a carne vermelha. Atualmente, os pesquisadores estão trabalhando com a SME Suiça-Italiana para comercializar o produto e finalizar o teste.

Como isso é feito?

Primeiro os materiais descartados são coletados, as proteínas são isoladas e quebradas em pequenos componentes chamados peptídeos. Em seguida, os peptídeos são separados em quatro grupos baseados no tamanho da partícula depois passam por diferentes filtros de diferentes diâmetros. Finalmente, as quatro misturas separadas são congeladas e pulverizadas.

Usando este método, a equipe de cientistas foram capazes de conseguir de 100 a 200 gramas de proteínas peptídicas no seu processo de manufatura.

“A vantagem desse método é empregar somente métodos de separação física sem o uso de nenhum produto químico, por isso o produto final é completamente puro.” Relatam os cientistas.

O projeto, apropriadamente intitulado BIORICE, é uma parceria multidisciplinar composta de: Universidade da Bolonha (Itália), produtor italiano de amido de arroz Amideria Il Cervo, empresa suiça Principium de tecnologia de ingredientes, Farmacon companhia franco-italiana de teste, consultores italianos R&D Carminia, empresa de pesquisa francesa Sterlab e o Instituto Fraunhofer. O projeto começou em 2013.

O site do projeto afirma, “O nutracêutico, alimento funcional e cosmético do mercado europeu e mundial estão rapidamente evoluindo os setores sempre na necessidade de desenvolver novas classes de produtos. Uma das mais importantes tendências do mercado é o uso dos novos ingredientes bio-base obtidos por extração sustentável do meio ambiente e por métodos testados. De particular importância é a reciclagem e a valorização da indústria de subprodutos agro-alimentares como matérias-primas para o isolamento de moléculas bioativas“.

Deixe seu Comentário!

Sobre Nutrição & Musculação

Nutrição & Musculação
É proibida a reprodução, total ou parcial, do conteúdo autoral e traduções sem prévia autorização.

Veja Também

vitaminas-minerais

Vitaminas e minerais: essenciais no equilíbrio metabólico e na composição do músculo

Quando falamos de alimentação, percebo que existe uma grande preocupação de muitas pessoas em relação …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Shares
Close